Farmacêuticos em ação: todos contra o Aedes aegypti

SAÚDE - 56Numa união entre todos os profissionais de farmácia do município onde até as farmácias privadas também foram convidadas a participar em frente ao CEALA onde a população em geral foi o público-alvo nesta quarta (23) para receber a principal ferramenta de combate ao Aedes Aegypti : a informação. A principal preocupação é a automedicação no período da Dengue, Zika ou Chikungunya.

Chamada de “Farmacêutica em ação”, encabeçada pela CAF Ismael Rocha de Melo (Central de Abastecimento Farmacêutico), essa campanha levou orientações sobre os repelentes que devem ser usados de acordo com a faixa etária, e também distribuição de repelentes caseiros, quais os medicamentos que podem usar durante a infecção, sinais e sintomas das doenças (Chikungunya, Zika e Dengue), como o cidadão pode se tratar, possíveis exames, dicas de prevenção, distribuição de hipoclorito e métodos preventivos e como combater os focos.

“Ainda sob estudo, o vírus Zika pode ser transmitido pela saliva, sangue ou até mesmo relação sexual, preservativos também foram distribuídos, uma vez que a camisinha pode prevenir o contagio e a gravidez nesse período de surto”, informaram as farmacêuticas Carla Melo e Marianne Monteiro.

Em todo o Brasil também foi realizado o Dia Nacional de Mobilização, com o diferencial do dia a critério dos municípios incentivados pelo Ministério da Saúde. O Conselho Federal de Farmácia capacitou os farmacêuticos da CAF para prestar os esclarecimentos mais atuais e verídicos.

De acordo com o Ministério, existem 90 mil farmácias no Brasil e mesmo recebendo orientações dos profissionais, muitas pessoas estão tomando remédio por conta própria e causando efeitos colaterais negativos devido ao quadro de Chikungunya, da Zika ou Dengue.

Clique aqui e veja mais fotos.

Prefeitura de Lajedo,
Mudando para Melhor

Gostou? Então compartilhe com seus amigos

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *